Pensei que o Miala estaria aqui – diz Zé Maria

O Tribunal Superior Militar condenou nesta sexta-feira, 22, o general António José Maria, antigo chefe do Serviço de Inteligência e Segurança Militar (SISM), a três de prisão efectiva pelo crime de extravio de documentos militares e foi absolvido do crime de insubordinação.

“Pensei que o Miala estaria aqui” questionou Zé Maria na sessão da leitura do acórdão que o condena a três anos de prisão efectiva.

A defesa do antigo homem forte da secreta angolana interpôs recurso, que foi aceite, o que significa que “Zé Maria”, como é conhecido, continuará em prisão preventiva até o processo transitar em julgado.

O julgamento de um dos mais próximos colaboradores e homem de confiança do antigo Presidente José Eduardo dos Santos começou a 11 de de Setembro.

O Ministério Público acusou e, no final, pediu a condenação de “Zé Maria”, por desvio de documentos secretos e insubordinação.

A acusação disse que o crime do general consumou-se quando ele se apossou dos documentos e os transferiu da “esfera militar para a esperar privada.”

O Ministério Público acrescentou também que ele não acatou as ordens do Presidente João Lourenço, também comandante em chefe das Forças Armadas, devido ao que chamou de “fidelidade canina” em relação a José Eduardo do Santos.

O Decreto