Movimento dos Estudantes formaliza queixa contra Adminitração de Viana e Directora da Eduacação por desvio de fundos públicos

O Movimento dos Estudantes Angolanos (MEA), , formalizou nesta sexta-feira, 06, uma queixa contra a actual direcção da Eduacção,  e Administração Municipal de Viana por alegado desvios de fundos das escolas públicas naquele município.

Em carta dirigida ao Presidente da República, João Lourenço, Sub-procurador-geral da República Vanderley Bento Mateus, responsável da Direcção Nacional Investigação e Acção Penal (DNIAP), Procurador Geral da República, Hélder Fernando Pitta Gróz e Governador Provincial de Luanda, Sérgio Luther Rescova, a organização de defesa aos direitos dos estudantes que trabalha junto das escolas em todo País, denuncia que existem em Luanda, várias escolas públicas financiadas com ordens de saque via Ministério das Finanças, mas estas verbas não chegam nas referidas instituições, nem mesmo os membros destas escolas têm conhecimento da existência do referido montante, (faltando assim, giz, apagadores, folhas para emissão de certificados e muito mais) lê-se no documento.

Queixa cita “como exemplo a situação por que passam as escolas de Viana, Puniv´s Zango 4 e 2, várias outras escolas de Viana onde os 520 mil kzs mês cabimentado para as instituições de ensino, a Administração Municipal e Direcção Municipal da Educação de Viana não conseguem dar explicações” citávamos a carta que tivemos acesso.

Terminando que “por esta razão pedimos o competente inquérito a estas instituições e apelamos que se divulgue uma lista com as escolas que recebem do estado esta cabimentação”.

O Decreto