Criança morre por falta de alimento no Talatona

Uma criança de dois anos e quatro meses morreu este domingo no Bairro M´bonde Chapéu Município do Talatona Província de Luanda por falta de alimentação.

A malograda, (na foto), que em vida respondia pelo nome de Lúcia Pedro morava com o pai e a mãe desempregados, que sem recursos para sobreviverem ao longo período de Estado de Emergência decretado pelo executivo angolano, não viram como salvar a criança, tendo perdido a vida quando eram 3horas da manhã deste domingo, segundo fontes familiares.

Recentemente no município de Cacuaco, por exemplo, uma criança também morreu na comunica do Kikolo, devido à fome.

Segundo o titular Governo Provincial de Luanda, Luther Rescova, já existe um cadastramento de mais de 60 mil famílias carenciadas, que durante o período de confinamento receberia bens de primeira necessidade.

Sabe-se que, apesar da entrega de determinados sectores na busca de soluções para acudir determinadas situações, fruto da incapacidade do Executivo Angolano, não vem minimizar o risco de morte de muitas famílias por falta de alimentação, uma vez que a maioria da população vive da economia informal que se encontra num bloqueio total.

O Decreto reportou recentemente que o gráfico estatístico segundo fontes do Cemitério de Viana, até antes da declaração do estado de emergência, o cemitério registava apenas 15 a 25 funerais diariamente, e que agora subiu para mais de 50 funerais dia.

O Decreto

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.