“É um erro o que estão a fazer com a empresária Isabel dos Santos” dizem internautas

Várias reações públicas tem sido feitas por diversas personalidades em Angola e Portugal sobre os arrestos dos bens da empresária Isabel dos Santos por estes dois países.

Recentemente na TV-Zimbo, o deputado David Mendes criticou a forma como decorre o processo contra a empresária.

Luís Melo um internauta português, afirmou que não há em Angola ou Portugal alguém da categoria empresarial de Isabel dos Santos. E que: “É um erro o que estão a fazer” escreve

Entretanto, o Procurador-Geral da República (PGR) de Angola, Hélder Pitta Grós, assumiu, na sexta-feira, 3, dificuldades em notificar a empresária Isabel dos Santos e admitiu que “está em aberto” a possibilidade de emissão de um mandado de captura contra a filha do antigo Presidente José Eduardo dos Santos.

Em resposta, Isabel dos Santos negou nesta segunda-feira, 6, num comunicado, que as autoridades angolanas desconheçam o seu paradeiro ou que não a consigam contatar, afirmando que “está e sempre esteve disponível a colaborar com a justiça e prestar todos os esclarecimentos”.

Santos classificou de “falsas” as informações de que esteja em parte incerta, esclareceu que tem advogados mandatados em Angola e Portugal e revelou que tem sido notificada de decisões judiciais, contra as quais até tem recorrido.

Em Luanda, advogados dizem não fazer sentido o PGR afirmar que não consegue contatar Isabel dos Santos quando existem advogados constituídos.

Para Agostinho Canando, a melhor forma de existir uma negociação entre o Estado angolano e a empresária Isabel dos Santos é através dos seus advogados constituídos em Angola

Quem tem a mesma opinião é o jurista Manuel Pinheiro porque, diz, “no processo cível não há nada que impeça a transação, possivelmente é necessário saber o tipo de poderes”.

O Decreto