CNJ lamenta o passamento físico de Inocêncio Alberto de Matos morto na última manifestação

A Comissão Directiva do Conselho Nacional da Juventude (CNJ), lamenta a morte do jovem, Inocêncio Matos, vítima das escaramuça entre efectivos da Polícia Nacional e manifestantes, durante protestos realizados na passada quarta-feira, 11, por grupo de indivíduos que exigiam na rua o fim do elevado custo de vida no país e a implementação das autarquias em 2021, sem rodeios.

Numa nota de condolências, superiormente assinada pelo seu líder, Isaías Kalunga, a Comissão Diretiva refere que, “Independentemente das circunstâncias que terão causada a trágica fatalidade do manifestante, o CNJ, apresenta a família enlutada, os seus mais profundos sentimentos de pesar e, considera o desaparecimento físico do malogrado, uma perda irreparável para a família e para o país”.

No seu documento, o CNJ, admite o descontentamento da juventude, em virtude da resposta tardia a solução dos seus principais problemas e, garante que, enquanto parceiro privilegiado do Executivo do Presidente, João Lourenço, mantém o compromisso de, tudo fazer para que, as dificuldades do momento sejam ultrapassadas o mais urgente possível, embora reconheça o ambiente econômico e financeiro desfavorável que o mundo, em geral e o país em particular enfrentam, devido a actual crise pandêmica da COVID-19.

O CNJ, ressalta que, ” o contributo da juventude, sempre foi determinante nos momentos cruciais da construção da nação angolana pelo que, exorta mais uma vez o seu espírito patriótico para juntos vencermos os constrangimentos que impedem o Executivo de concretizar os anseios e expectativas da população” finaliza a nota de condolências.

 Decreto