Greve à vista na TCUL

Trabalhadores da TCUL podem decretar greve nesta sexta-feira para exigir reajuste de salários e fim de despedimentos sem justa causa

Os trabalhadores de Transportes Colectivos e Urbano de Luanda (TCUL) podem entrar em greve a partir desta sexta-feira, 16, para exigir resposta ao caderno reivindicativo, remetido a 19 de Março do corrente ano, à entidade patronal, que segundo o colectivo de trabalhadores “não manifesta interesse para negociações”.

Segundo apurou O Decreto, a paralisação dos trabalhos pode ser decretada já na sexta-feira, no decurso de uma assembleia geral de trabalhadores a ter lugar nas instalações da TCUL, no Cazenga.

Contactado por este portal, o primeiro secretário da comissão sindical da CG-SILA na TCUL, Domingos Palanga disse que, entre as várias reivindicações constantes no caderno já em posse do patronato, destacam-se “o reajuste salarial, pagamento regular e pontual dos ordenados, bem como exigir o fim dos despedimentos de trabalhadores ao arrepio da Lei do Trabalho”.

O sindicalista explica que, após a remessa do caderno reivindicativo à direcção da empresa pública de Transporte Colectivo Urbano de Luanda (TCUL), os funcionários esperavam por uma resposta do patronato, mas segundo Domingos Palanga, “nada aconteceu até ao momento”, pelo que, o cenário mais provável será a realização de uma greve nos próximos dias, “cuja decisão vai ser conhecida nesta sexta-feira, durante a assembleia geral do colectivo trabalhadores, a decorrer nas instalações da TCUL”, afirmou.

Domingos Palanga referiu por outro lado que, a comissão sindical mantém as portas abertas para o diálogo com a entidade patronal, caso este manifeste a vontade para o efeito.

A nossa redacção deste porta tudo faz para ouvir a direcção da empresa de Transporte Colectivo Urbano de Luanda (TCUL).

O Decreto

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.