Militantes da UNITA invadem Hotel em Viana para impedirem Conferência de imprensa contra Adalberto Costa Junior

Actos de pancadaria foram registados na manhã desta quinta-feira, 20, no Hotel Luisão, em Viana, local que acolheu uma conferência de imprensa do antigo secretário municipal da UNITA, Daniel Ndjahulo, que manifestou a sua deserção ao partido fundado por Jonas Savimbi.

Ao tomarem o conhecimento da pretensa conferência de imprensa, um grupo de militantes da UNITA, deslocou ao Hotel Luisão, com o objectivo de impedir o acto em que o ex-dirigente dos “maninhos” iria fazer acusações de fórum tribal contra o seu líder, Adalberto Costa Júnior.

A acção resultou em actos de pancadaria, que obrigou a intervenção dos agentes da Polícia Nacional, que se encontravam no local para assegurar a conferência de imprensa.

Segundo consta, o grupo foi recrutado por “elementos” que têm promovido as conferências de imprensa visando o desgaste da imagem da UNITA e do seu líder ACJ e cada pessoa teria recebido 50 mil kwanzas, sendo estes lavadores de carro do bairro “Vidrul” e “Maiombe”, município de Cacuaco, em Luanda, para fazerem-se passar por militantes da UNITA.

“A direção da UNITA, em Viana, infiltrou na sala de conferência do hotel, antigos operativos da sua extinta Brigada de Defesa do Estado (BRINDE) que fingiram ser desertores e jornalistas”, disse um dos dirigentes ao O Decreto.

O secretário municipal da JURA, em Viana, Sávio Nhany presente no local, disse a este portal que o acto protagonizado pelo ex-secretário, Daniel Ndjahulo enquadra-se na estratégia do partido no poder, cujo objectivo é manchar a imagem da UNITA e do seu presidente, Adalberto Costa Júnior, aquém assegura estar com os militantes do seu partido.

Por sua vez, a presidente da LIMA, no município do Talatona, Lourdes Vilowa acusou o MPLA de estar a corromper os militantes da UNITA com vista a manutenção do poder em 2022 e manifesta o seu apoio ao presidente do maior partido na oposição.

A conferência de imprensa tinha sido marcada para às 10h desta quinta-feira, 20 e tinha  como ponto chave o anúncio da desvinculação da UNITA do militante Daniel Mário Ndjahulo e a sua subsequente adesão ao MPLA.

Depois de 5 minutos do início das declarações de Daniel Ndjahulo, os infiltrados da UNITA pediram reforço a um segundo grupo que estava na parte externa do recinto que por sua vez invadiu a sala de conferência do hotel inviabilizando a actividade.

Entretanto, a operação de sabotagem foi igualmente registrada em vídeo, em diferentes ângulos por três destacados operativos da extinta BRINDE que de seguida enviaram  para a direção do partido para a sua análise.

Depois do tumulto registado e com a intervenção da polícia, Daniel Ndjahulo foi escoltado pelos efectivos da corporação, tendo sido levado para outra sala do Hotel Luisão, onde deu prosseguimento da conferência de imprensa.

À imprensa pública, o ex-secretário municipal da UNITA, em Viana, manifestou publicamente a sua renúncia ao partido fundado por Jonas Savimbi, alegando que tomou tal decisão pelo facto de ter sido exonerado do cargo sem explicações, bem como por ter sofrido humilhações do secretário provincial da UNITA, em Luanda, Nelito Ekuikui.

Daniel Ndjahulo, agora “fora” da UNITA é um quadro que está há três meses afastado do cargo de secretario municipal do “Galo Negro”, em Viana por alegado desvio de 800 mil Kwanzas das rendas da sede municipal do partido.

Foi antes comissário municipal eleitoral tendo sido substituído em 2017 por Enoque Francisco Camarada. Desde a sua suspensão no cargo, o comité da UNITA em Viana conta com um secretário, Arnaldo Filipe Bila.

O Decreto 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.