MPLA em Luanda procura corromper organizadores da marcha do dia 26

O auto-denominado Movimento de Jovens Revolucionários, popularmente conhecido em Angola por revús, volta às ruas de Luanda no próximo sábado, 26.

Uma equipa encabeçada pela líder da JMPLA em Luanda, Hemingarda Fernandes, tenta contactos com organizadores para impedir a realização do protesto.

O referido protesto têm como assinantes, David Salei, Coronel Fuba, António Quissanda, mais conhecido por “Beiman”, este que acabou por falecer e o jovem identificado apenas por Mulaza.

Desta vez, os activistas, exigem  a destituição do Presidente da República, pelo que chamam de fracasso das políticas públicas, promessas eleitorais não cumpridas, o agudizar da situação social e económica dos angolanos e as mortes nos hospitais entre outros temas.

Os revús prometem sair às ruas pela manhã, a partir do cemitério da Santa Ana e vão até 100 metros do Palácio Presidencial para exigir que João Lourenço ponha o seu lugar a disposição, disse Emiliano Catumbela, porta-voz do grupo que acusou o Presidente de “falsas promessas” e “incompetência”.

O Decreto

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado.