Templos da IURD transformados em locais de “prostituição e consumo de álcool, Bispo Alberto Segunda demarca-se

O líder da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola nega que, os templos que actualmente estão a sofrer vandalização e alguns transformados em “antros de prostituição, venda e consumo de bebidas alcoólicas”, já não estão sob o controlo da direcção da IURD.

Este portal apurou que, muitos dos locais que, anteriormente serviam de culto de adoração a Deus, servem agora para práticas de actos que “atentam à moral da igreja e da sociedade”, pois segundo fontes, “os templos da Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), encerrados pela decisão da justiça angolana, têm servido para a realização acções como “prostituição, venda e consumo de álcool”.

Em resposta ao portal O Decreto, o bispo Alberto Segunda, disse que, devido ao bloqueio das contas bancárias da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola, na sequência de um processo judicial que corre os seus trâmites legais no Tribunal Provincial de Luanda (TPL), a sua congregação, ficou sem a possibilidade de continuar a custear o arrendamento dos imóveis que serviam como locais de culto.

Falando nesta sexta-feira, 22, durante o acto de apresentação e tomada de posse da nova direcção da IURD saída da Assembleia extraordinária realizada no dia 4 de Junho do ano em curso, publicado em Diário da República, III série nº 155, de quinta-feira, 7 de Outubro de 2021, liderada por si, esclareceu que, a Igreja Universal do Reino de Deus tem mais de 300 templos em todo o país na sua maioria construídos de raiz, sendo alguns funcionam em regime de arrendamento.

“Com o encerramento das nossas contas, houve a necessidade de se criar uma estratégia de devolução desses templos, pois não fazia sentido estarmos a pagar sem fazer o devido uso”, disse Alberto Segunda, acrescentando que, “uma vez estando em posse dos seus legítimos proprietários, têm o direito de fazer o uso que eles bem entenderem, por isso, se os templos que eram alugados foram transformados em locais de farras é porque não estão mais sob o controlo da igreja”, concluiu.

Novo elenco da IURD em Angola

A nova direcção resultante da última Assembleia Geral realizada em Junho entrou em funções nesta sexta-feira, 22, cuja cerimónia de empossamento aconteceu no Talatona, em Luanda. Em comunicado lido à imprensa, a sua direcção entende que a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), há dois anos que tem sido alvo de diversos ataques, perpetrados alegadamente por ex-pastores e pastores dissidentes.

De acordo com a “ala brasileira” da IURD, “tais ataques têm por finalidade única manchar o bom nome da instituição numa demonstração de um acto de rebelião e tentativa de controlo da organização por meios criminosos”.

A nota informa aos fiéis da igreja e a sociedade em geral que, a assembleia elegeu o bispo Alberto Segunda como o líder espiritual e presbítero geral da Igreja Universal do Reino de Deus em Angola.

Foram igualmente eleitos os membros do conselho de direcção, que tem a testa o bispo António Miguel Ferraz, coadjuvado pelo Bispo Pascoal Joaquim Sandrenho. A

nkira Noelma Narciso Rodrigues foi escolhida como secretária-geral da organização fundada no Brasil por Edir Macedo e Ivone Teixeira foi eleita tesoureira.

Para a mesa de Assembleia Geral, os membros da IURD escolheram o bispo Paulo Meireles Rosa Comba, tendo como vice-presidente João Ananias de Menezes.

O encontro de Junho último alterou também os estatutos da Igreja Universal do Reino de Deus, constante no Diário da República, publicado no dia 7 deste mês.

Entretanto, a IURD pensa que os actos legais “aqui anunciados, bem como os efeitos por si produzidos, demonstram com clarividência que a direcção legitima da Igreja Universal da Igreja Universal do Reino de Deus, sempre pautou pela verdade, transparência respeitando as normas vigentes em Angola”, lê-se.

O Decreto